sábado, 16 de dezembro de 2006

O QUE IRRITA A JAQUELINE

Quando decidi fazer faculdade de jornalismo, meus amigos me questionaram sobre o porquê dessa escolha e imediatamente me disseram que eu estava fadada a ser uma pobre coitada na vida e o melhor seria que eu fizesse direito, pois este sim seria o curso no qual eu poderia conseguir status e dinheiro.Simplesmente ignorei todos os comentários e agora estou fazendo o curso de jornalismo.
Ao entrar na universidade comecei a pensar sobre os motivos que me levaram a escolher o jornalismo como profissão, e devo confessar que não sei se essa foi a escolha mais acertada.
Com o decorrer das aulas pude conversar com muitos colegas e comecei a especular sobre os motivos que os levaram a estarem ali na mesma situação que a minha.Alguns, como eu, não sabiam explicar sua escolha, entretanto, outros tinham plena convicção da decisão tomada.
A partir de um certo momento, as pessoas que tinham uma visão de mundo mais ou menos parecida foram se aproximando e assim a sala tomou uma configuração um tanto quanto curiosa; pode-se perceber a formação de dois hemisférios antagônicos: o norte, considerado o povinho da janela e o sul a parte criativa.
As discussões nas nossas aulas , principalmente as de teorias e praticas jornalísticas , fizeram com que eu percebesse quais seriam as características fundamentais para um bom profissional da área de comunicação e assim pude refletir mais sobre a minha escolha .O interesse por temas como política , economia , atualidades , entre outros, seriam essências para a formação de um jornalista com uma visão critica do mundo.Devo deixar claro que não sei se possuo tais qualidades, mas tenho plena convicção que elas são essenciais para a formação de um bom profissional.
Em meio aos debates propostos nas aulas, fiquei chocada com a atitude de certas pessoas que se diziam convictas da decisão pelo jornalismo ; simplesmente declararam odiar falar sobre política, e depois de dizerem esse absurdo fiquei sem compreender qual o motivo que as levaram a estarem ali.Essas pessoinhas que odeiam a política e a única preocupação na vida é tomar a difícil decisão de escolher qual a saia que combina com tal blusa, a bolsa mais fashion, o brinco mais bonito deveriam fazer o curso de publicidade.
Este sim seria o curso ideal para esse povinho fútil e vazio que não esta nem ai para o resto do mundo, pois através da publicidade estariam em contato com todas as novidades da moda e estariam exercitando o poder de manipulação e alienação sobre pessoas tolinhas como elas mesmas.
É fundamental que todos saibam que Jack não pretende ofender ninguém, seu único objetivo é alertar sobre os absurdos que dizem por aí. Por isso tomem cuidado.
Ela só sabe reclamar!!!!

16 comentários:

BruneLLa França disse...

Jaqueline Mainardi, eu tenho muito medo de você!!! E admiração também...
Obrigada por ser a voz que não tem pudor, não tem medo, não tem receio algum de dizer o que quer, o que a irrita profundamente...
Adoro a insanidade de Jaqueline! Adoro a Jack sarcástica, irônica, ácida...
Continue nos dizendo o que tanto a irrita, Jaqueline!
Porque você não é mesmo deste mundo! é diferente, é melhor; é muito mais ... Você é diferente, é melhor; é muito mais ...

Sylvia Ruth disse...

Grande Jaqueline!

O que te irrita que se prepare!

Aline Dias disse...

sei lá...
achei muito egocêntrico.

mas foi a intenção, né?

ShaSha disse...

Jaqueline...

vc é é perversa... e só sabe reclama... qm diria que pensava isso...

to começando a ficar... com mto medo de vc!

Vc se irrita com td! Não se irrite comigo... gosto mto de vc!

Mas nao posso negar... Jaqueline... ah, como vc reclama bem!

huahuauua

mto bom mesmo Jaque!

BruneLLa França disse...

Difícil responder, Aline...
porque Jaqueline não existe !!!
Quem é Jaqueline? Ninguém sabe, ninguém viu.

Simone Azevedo disse...

Jaqueline, vc é das minhas!!!!!!!!
Ácida,perversa,sarcástica,não se cala diante do que te irrita,má.Vc é perfeita!Diria até que vc é um pouco venenosa.
Ave jaqueline!
Tomara que eu não irrite vc!

Jornalismo Incompetente disse...

a jakeline que se prepare para os próximos comentários!!!estou com medo dos processos!!!

Simone Azevedo disse...

É esse o trabalho da imprensa!Botar a boca no trombone!

janaina disse...

to com medo da jaqueline, eu comprei uma bolsa fashion, mas foi um momento de tristeza, so isso, no meu estado normal nao teria feito isso

janaina disse...

to com medo da jaqueline, eu comprei uma bolsa fashion, mas foi um momento de tristeza, so isso, no meu estado normal nao teria feito isso

Anna K disse...

Concordo com a aline...!
E outra, já q ela começou a julgar...vamos julgá-la também...
sem pudor, sem medo, pode até ser, sensacionalista ou só querer chamar atenção, também!
Realmente alguém q realmente pode se considerar uma Mainardi...!

uhuahauhauhuhauau....
O legal é que eu quase estava começando a escrever uma daquelas cartas que mandam a Veja sobre algo que o Mainardi escreveu.
Que comédia...! =)

Foi esse o objetivo, certo?

Aline Dias disse...

Só acho estranho a Jaqueline meter o pau na mesma publicidade que faz com que ela seja lida.

BruneLLa França disse...

Torcendo p q a Jaquelne s irrite c a Janaína... rsrsrsrsrsrsrsrsrs

bruno disse...

jaqueline,
gostei muito do seu texto.
mas acho que deveria ter um pouco mais de cuidado ao tratar do assunto "pessoas".
é muito fácil tratar de pessoas como algo genérico. estereotipar e prendê-las todas a um único grupo já estereotipado pela sociedade.
isso, pra mim, é jornalismo tacanho que não apura fatos, se contenta com reflexos...
dentro de um grupo, seja ele de atividades, profissional ou cultural existem diversas pessoas e sendo assim diversos posicionamentos.
é de grande complexidade estudá-los. é um exercício de compreensão do ser humano enquanto indivíduo isolado e indivíduo dentro da sociedade... e aí fazer a ponte.

perceba,
eu sou um estudante de publicidade.
viu como falou de mim sem nem me conhecer?

só fiquei chateado por me incluir no grupo dos que só se preocupam com seus brincos e nas táticas de manipulação e alienação...

e mais um vez reforço:
tratar de grupos de forma arbitrária sem ligar ao modelo de sociedade ao qual nos situamos é um equívoco.

eles não deveriam cursar publicidade.
eles estão onde estão.
assim é a sociedade que vivemos.
a sociedade que elege Clodovil...

perdemos, meu bem.
perdemos.

a crítica foi boa.
só tome cuidado com a conclusão.

bom é passá-los pra Publicidade OU é orientá-los sobre a importância da política e de tais disciplinas no currículo?

um beijo.
não fique com raiva.
só fiz críticas porque gostei do texto e porque sou fã desse grupo do primeiro período que tem se revelado muito foda! ;-)

Bruno Rebequi,
o chato da Ufes (aheuaheuhae!)

gabrielle disse...

Pois é me senti tocada assim como o bruno, sou estudante de publicidade e minha maior preocupação não é combinar a saia com a blusa, apesar de sempre tentar fazer isso(vc não!?), e que falo de política assim como um estudante de jornalismo aplicado, e eu sei tb que vc não quis nos ofender certo?!

Jaqueline disse...

Meu nome é Jaqueline, como vc,curso "Publicidade" na Ufes.
Escolhi esse curso não para ficar informada sobre as ultimas tendências da moda (até porque, não sigo nenhuma), mas porque acredito que posso ajudar a mudar o conceito que algumas pessoas "desinformadas" tem sobre essa profissão.
Não é a melhor profissão do mundo, tampouco é perfeita. Mas, ela consegue produzir peças bonitas e que produzem um impacto, positivo ou negativo, na sociedade.
Acredito que é necessário mudar o formato atual da propaganda no Brasil. Mas, isso não vai ser feito através de críticas inúteis e destrutivas.
Convido vc, Jaqueline, a assistir uam aula de nosso curso e procurar informar-se mais sobre essa profissão.
Além disso, me interesso por política e penso que seu entendimento é fundamental para qualquer profissão.