domingo, 17 de dezembro de 2006

Dia do leitor.

Do inconsciente ao quintal

Parece que aprendi pouco com Benjamin. Tenho demorado meses (e não dias, como deveria ser) para retornar aos arquivos nebulosos. Péssima aluna. E ele que sempre diz para sair anotando coisas num bloquinho de papel... Perdoe-me Benjamin. De tanto computador, acho que desaprendi a fazer anotações em papéis... Enfim, acredito que ele me perdoaria.

Eu deveria anotar também os meus sonhos. Por isso, há um caderno e uma caneta na mesa de cabeceira. Mas sempre deixo para depois, mesmo sabendo que as lembranças dos sonhos duram alguns minutos. Na verdade, talvez nem existam de fato. Outro dia sonhei com porquinhos de pelúcia cor-de-rosa. E resolvi escrever sobre pessoas e bichos.
"Benê sempre aparecia debaixo da casa de G. Miguel, exatamente à meia-noite. Sedutora – embora fosse levemente manca –, queria que ele saísse com ela para ver a lua, dar umas voltas pelo jardim, conversar. Ele, muito tímido, nem sempre aceitava os convites. Passava longos momentos fitando Benê, apertado entre as janelas entreabertas, mas na maioria das vezes acabava indo se deitar, deixando-a lamentosa. Quando saíam juntos, o que era raro, passavam a noite inteira na rua e só retornavam para casa de manhã, com os galos se esgoelando. Certa noite, Benê não apareceu. De quando em quando, G. Miguel parava na janela para ver se ela estava à caminho, mas nada. Naquela noite, Benê conheceu Rafael P., primo de Antônio C., que é um artista famoso. Foi o começo de um tortuoso mal-entendido, um acúmulo de desenganos. A história, que tinha todos os floreios de um filme romântico, quase acabou em tragédia. Num período de um dia e uma noite, descobriu-se que Benê não era uma mulher de fato, mas uma espécie de travesti; que G. Miguel sofria de síndrome de castração e que Rafael P. nunca tinha saído de seu apartamento de alto luxo de bairro nobre. Portanto, não sabia nada do mundo "selvagem", dos perigos da vida, ao contrário de G. Miguel, um flâneur por natureza. Rafael P., quando saiu de casa naquela noite com Benê, voltou quase de manhã para casa, chorando alto, quase em desespero. Acredita-se que Rafael, cego de paixão, tenha sido enganado por Benê. É possível que tenha levado uma carreira, pois estava em estado de choque, todo sujo e com as roupas rasgadas. Foi levado para o hospital no dia seguinte, às pressas. Estava estranhamento perturbado, agredindo a tudo e a todos. Foi sedado e, à base de calmantes, levado para casa pelos amigos mais próximos. Recuperou-se dois dias depois. Rafael agora pretende sair menos de casa... Está preferindo o conforto de um apê de classe média alta, onde pode assistir a vida através da TV, de um filme de DVD, confortavelmente instalado numa cama cheia de almofadas. Ou vendo o mundo externo pela porta de vidro da sala. Benê, que acabou revelando sua verdadeira personalidade, não voltou a entrar em contato com G. Miguel. Dizem que manteve um breve romance com Antônio C., que patrocinou sua mudança definitiva de sexo. G. Miguel tão pouco lhe daria atenção, embora sentisse um pouco de pena dela. Vizinho de Rafael P., G. Miguel ficou sabendo do que aconteceu, embora ninguém saiba o que de fato se passou naquela noite misteriosa. G. Miguel acha que Benê deveria abandonar essa vida errante - mas mantendo seu novo sexo, claro - e se lançar em busca de suas origens, de seu verdadeiro "eu interior". Talvez um blog na Internet ou umas sessões de análise fariam bem a ela, pensa G. Miguel, enquanto a imagina aparecendo novamente sob a janela para lhe dar boa noite


Texto da professora Daniela Zanetti

12 comentários:

janaina disse...

gente, esta ai o texto da nossa professora Daniela, ficou otimo, e por favor mandem textos para o dia do leitor.

BruneLLa França disse...

Acho q sou suspeita p postar um comentário sobre o texto de uma pessoa de quem eu sou fã. Além do mais, tive o privilégio de ser a primeira pessoa a ler o texto desse dia do leitor tão aguardado por nós, membros do blog. Afinal, Daniela foi a pessoa que mais apoiou, incentivou e acompanhou algumas coisas do processo de criação deste espaço nosso!
Eu achei o texto surpreendente, e, como já tinha enviado no convite para a turma, imperdível! Não dá para deixar de ler!!!
Sobre bichos e homens, uma análise que se constrói de leve, dando uma sensação de proximidade ao leitor. Mais ou menos assim: estamos vendo Benê, sedutora, passeando debaixo da casa de G. Miguel. Acompanhamos cada passo. É palpável aos sentidos!
Quando descobrimos o desfecho da história, estamos quase indo à janela, feito G. Miguel, para dar boa noite a ela... nem que esse ela seja apenas a noite!
Espero que tenhamos mais dias do leitor com textos de Daniela!

BruneLLa França disse...

AVE, DANI!!!
AVE, DANI!!!
AVE, DANI!!!
rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Simone Azevedo disse...

Obrigada Dani por nos brindar com sua ilustre participação.Eu,em nome de toda equipe do Jornalismo Incopentente, te agredeço.
Reverências à Dani!
AVE, DANI!!!!!!!!!
VIVA, DANI!!!!!!!!!

Sylvia disse...

Ué gente, o semestre já acabou, vocês não precisam ficar puxando o saco da Daniela não, todas nós já fomos aprovadas!

Mas sério. Muito legal o texto, parabéns!

Simone Azevedo disse...

Não Sylvia,temos que pensar nos próximos semestres.Talvez tenhamos aula com ela denovo.
hahahahhahahahahahahah
Brincadeirinha...

BruneLLa França disse...

Sylvia... ¬¬'

Ton disse...

Depois de um texto desse, acho q todos os leitores mortais terão no mínimo receio de mandarem seus textos... =/
hehe

Gabrielle G.(pra combinar com o texto) disse...

Pois então um blog na internet pode fazer bem?!
Nossa o texto é muito bom msm, espero ter aula com a Daniela um dia!

Anônimo disse...

Legal o textoooooooooo....

Depois dessa acho Sylvia q acabou minhas chances de mandar algum texto meu pro blog...

Acho q só vou continuar como leitora mesmo...

uhahuahuhua...

sacanagem... um dia desses... qndo tiver em coq, de ferias, tomando sol e bebendo agua de coco (e se tiver com net, pq meu futuro está incerto com relação a esse assunto)... venho aqui posta alguma coisa...

só nao prometo...

ShaSha disse...

O comentario de cima era meu... só q a burra nao acostumanda com a tecnologia postou sem colocar o nome...

aff

Legal o textoooooooooo....

Depois dessa acho Sylvia q acabou minhas chances de mandar algum texto pro blog...

Acho q só vou continuar como leitora mesmo...

uhahuahuhua...

sacanagem... um dia desses... qndo tiver em coq, de ferias, tomando sol e bebendo agua de coco (e se tiver com net, pq meu futuro está incerto com relação a esse assunto)... venho aqui posta alguma coisa...

só nao prometo...

BruneLLa França disse...

Shasha, pode mandar seu texto para o dia do leitor sim! queremos ler vc tb!
E todas as pessoas q quiserem podem mandar tb! estilos diferentes, temáticas diferentes, cada um tem seu jeito de escrever. O texto da Dani está muito bom, mas acredito que todos aqui têm capacidade de escrever um texto muito bom tb! portanto, dedinhos nos teclados e mãos a obra! Estamos aguardando os textos!