segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Ave Franklin! Por BruneLLa França

Um por todos e todos contra um

O artigo “Poção Mágica”, de Denis Lerrer Rosenfield, publicado em Folha de São Paulo, 28/06/02, aborda a mudança de rumo da política estadunidense sob o comando de George W. Bush e alerta para as possíveis conseqüências disso em âmbito mundial.

Após a publicação do artigo, seguiram-se fatos nos quais podemos observar a perda da fórmula da poção mágica. Os estadunidenses reelegeram Axterix, mesmo com sua política inexeqüível. A exemplo da fábula “O Lobo e o Cordeiro”, os Estados Unidos invadiram o Iraque. Por trás da capa de defensor da democracia, a necessidade de controlar as fontes petrolíferas – vitais à economia daquele país.

Nesse ínterim, não é possível o confronto direto com a superpotência. A funda e a pedra de Davi não surtirão efeito contra o Golias de agora. Há de se observar, porém, que o homens fazem sua história sob circunstâncias com que se defrontam diretamente, ligadas e transmitidas pelo passado.

Assim sendo, a melhor estratégia a ser adotada no embate contra o império é a que foi proposta no artigo: “Os países deverão se organizar para atuar sobre a opinião pública americana”. Afinal, são as forças da sociedade que mudam os rumos de um país.

Parece que a mensagem de Rosenfield começa a ser entendida até mesmo dentro dos Estados Unidos. Bush foi derrotado na eleição para o Congresso estadunidense. Após doze anos, os democratas voltam a ser a maioria e já disseram não apoiar a guerra pelo petróleo. Enquanto Bush quer lançar um novo plano de ações para o Iraque, pois se deve vencer a qualquer custo – segundo o presidente, os congressistas democratas querem a retirada dos soldados estadunidenses do caos em que se tornou aquele país.

Nem mesmo o Reino Unido, aliado incondicional de Bush, quer maior envolvimento com a guerra, que parece perdida para os soldados invasores. Esta semana, foi anunciada a retirada de 3 mil combatentes ingleses e envio de tropas numerosas está praticamente descartado. Ao que parece, Tony Blair não tem mais o mesmo poder de persuasão sobre os demais ministros britânicos, que querem a retirada total das tropas de seu país do Iraque.

O que era para ser guerra mais eficiente da história está se transformando no maior fracasso dos Estados Unidos e seus aliados. O geopolítico britânico Timothy Ash disse que a derrota das forças invasoras no Iraque será ainda mais humilhante para o Império do que foi a Guerra do Vietnã.

Se a previsão se concretizar, Bush não terá forças para indicar um sucessor republicano à presidência dos Estados Unidos e a Casa Branca estará bem mais próxima de um candidato democrata. Nesse mesmo caminho, será difícil para Tony Blair um novo mandato de primeiro-ministro britânico. O futuro de incertezas fica mesmo para o Iraque invadido e sua população. Só sabemos que Saddam não volta mais ao governo.

******

As disputas no Congresso Brasileiro...

A presidência do Senado que parecia ir tranqüila para o PMDB ganhou um forte concorrente: o senador José Agripino Maia (PFL-RN). O candidato pefelista entra na disputa e afirma tem muitas chances de chegar à presidência do Senado. As negociações já começaram, mas ainda não houve o pronunciamento oficial de nenhum partido dando apoio a qualquer dos candidatos.

Já a presidência da Câmara promete outra eleição difícil de arriscar um nome vencedor. O PSDB está divido entre os que apóiam Chinaglia e os que desejam uma candidatura independente. É justamente nessa brecha que o candidato à reeleição Aldo Rebelo pretende conseguir apoio. Além dos dissidentes tucanos, Aldo deve se reunir com outras legendas que ainda não definiram a quem apoiar. O candidato do PCdoB parece querer evitar que surja uma terceira candidatura à presidência da Casa.

É bom lembrar que na última eleição, por total incompetência dos articuladores governistas, tivemos Severino Cavalcanti eleito presidente da Câmara. Somente após sua deposição do cargo é que Rebelo, então ministro do governo Lula, assumiu a Casa.

******

Capixabão 2007

Quem não faz...

Mesmo apresentando um volume de jogo maior que o adversário, o CTE Colatina foi feliz em sua estréia no Campeonato Capixaba 2007. a equipe colatinense sofreu um gol nos minutos iniciais do segundo tempo e perdeu de 1x0 para a equipe do Pinheiros. O resultado poderia ser diferente se os atacantes do CTE não tivessem desperdiçado tantas oportunidades de marcar.

O Pinheiros fecha a primeira rodada da Chave A como líder, com 3 pontos. Linhares e Estrela que empataram em 0x0 no sábado, somam um ponto cada um. O CTE fica com 0 pontos, como o Jaguaré, que folgou na primeira rodada.

Hoje tem mais!

Às 20h30minh, no Estádio Municipal Justiniano de Melo e Silva, em Colatina, o Clube Atlético Colatinense faz sua estréia no Capixabão em jogo contra o Serra, tricampeão estadual, fechando a primeira rodada do campeonato. É o segundo confronto pela chave B, que teve o primeiro jogo na sexta-feira, com o Vila Velhense vencendo o Vitória por 5x3. O Rio Branco folga na primeira rodada.

A expectativa por um resultado positivo para a equipe colatinense é grande, visto que foi a primeira a iniciar a preparação para o campeonato. Um dos destaques da equipe é o atacante Índio, bem conhecido dos torcedores capixabas. Ano passado, ele ajudou o Colatinense a chegar ao título da segunda divisão e pretende comemorar o título da primeira divisão no encerramento de sua carreira. Índio afirmou que pára de jogar esse ano.

Amanhã eu volto para informar a todos o resultado do jogo de logo mais a noite. E torçam pelo Colatinense!

3 comentários:

BruneLLa França disse...

A colunista que vos escreve está revoltadíssima!
O jogo Colatinense e Serra terminou empatado 1x1. Leia mais na coluna sobre o futebol capixaba!

Simone Azevedo disse...

è muito democrático "intervir" na politica de um pais com o pretexto de lutar contra a tirania.
perspectiva interessante...
quanto a Sadam, não tenha tanta certeza assim.ou vc não acredita em reencarnação?
já li esse artigo "Porção Mágica". gostei bastante.

BruneLLa França disse...

Simone, eu espero sinceramente que o Saddam fique no além mesmo!