terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

De amor e de letras. Por BruneLLa Wyvern.


Caminhando sem destino, guiada por uma Lua branca em noite escura, pensava na madrugada daquela quinta-feira. O prazer era tanto que chegava a doer... Mas não uma dor física. Doer dentro, como se fosse na alma. Mais um delírio que uma dor. Uma morte e uma ressurreição. O êxtase e o relaxamento absolutos, unidos de forma incoerentemente simultâneas.

Provavelmente, as poucas pessoas que passavam por mim não entenderiam meu sorriso sem endereço ou aparente motivo. Mas eu ainda podia sentir cada centímetro do corpo dela e aquele perfume de mulher que me enlouquecia. Jamais me esqueceria do jeito dela me olhar. Não sei explicar ao certo... Ela me enfeitiça como se tivesse a Lua presa nos olhos.

Tentei lembrar os versos que desenhamos em minha cama aquela madrugada... Não consegui. Lembrei-me das carícias, dos toques, dos gemidos. Voltei para casa e fui entrando. Ao contrário do que faço sempre, não olhei para trás. Apenas fechei meus olhos e ouvi o que o mar tinha a me dizer.

Fui direto ao banheiro de minha suíte, no andar de cima. Não estava muito preocupada com o tempo. Aquele momento seria meu. Fiquei ali, na banheira, brincando com a espuma. Ternas são as noites!

Saí do banho disposta e renovada. Penteei os cabelos de qualquer jeito. A noite estava quente, abafada. Tirei meu notebook da escrivaninha, joguei a toalha molhada em cima da cama e deitei sobre ela. Alguns versos desajeitados apareciam na tela. Apaguei-os. Tentei algumas frases, mas não ficou bom. Deixei de lado e saí para a varanda. Não me importei que estivesse nua... Queria mesmo ser beijada pela maresia salpicando o ar das espumas de que se moldou Afrodite. Inesperados, os impulsos do desejo afloraram. A pele apenas metáfora em palavra liquefeita.

Na noite dos tempos, pára o mundo, cessa o sonho, procura-se o infinito.


**Desenho: Sun and Moon, Angel Lyon Wyvern Le Blanc

3 comentários:

Natasha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natasha disse...

O que eu posso dizer sem estragar a surpresa que todos terão mais pra frente?

Bom, como sempre, eu só tenho elogios a fazer a essa coisa mais linda do mundo que sempre nos presenteia com textos ótimos.
Eu não queria fazer inveja, sabe? Mas não tem como não dizer que eu meio que já sei parte do rumo dessa estória e garanto a vocês que vão gostar tanto que vão sentir os olhos brilharem e saber que tudo é feito de versos. Pois a vida é um verso que cada um escreve a seu modo...

Garanto que vocês nunca viram um romance como esse!

BruneLLa França disse...

É... a Bru continua escrevendo o romance...