sábado, 19 de janeiro de 2008

Ave Franklin! Por BruneLLa França.

É preciso aprender a amar Gaia

Longos períodos de secas e chuvas. Furacões e queimadas fora de época. O equilíbrio ecológico do nosso planeta azul está seriamente afetado. A humanidade nunca prestou tanta atenção ao meio ambiente. Estava na hora! Basta ver os estragos que a espécie Homo sapiens fez e faz com a nossa mãe Gaia.

Mas o discurso ecológico não pode ser apenas um modismo. É preciso que as pessoas entendam que defendendo o meio ambiente estamos defendendo também a humanidade. Apesar de existirem teses e pensadores que insistem em descobrir o que separa o homem da natureza, essa distinção não existe. Somos parte desse ecossistema complexo e gigantesco que forma as cadeias de vida em nosso planeta.

A destruição ambiental vem crescendo: restam hoje apenas 22% da cobertura vegetal do globo. O problema é agravado pelo fato de os interesses mercadológicos de muitas nações estarem acima do bem-estar da sociedade mundial. Parece difícil fazer alguns seres humanos entenderem que todos fazem parte de um ecossistema de escala planetária. Assim, as conseqüências do desmatamento na Amazônia, por exemplo, refletem nessa mesma escala. E isso é válido para toda interferência antrópica feita nos demais ecossistemas que compõem Gaia.

Quando a humanidade entenderá que o ser humano talvez seja o único ser vivo em todo Universo a ter uma consciência universal? Nesse caso, não só é uma responsabilidade global conservar os habitats deste planeta,mas uma responsabilidade cósmica.

Abram os olhos e vejam: o Sol não é apenas uma estrela, a Lua não é um mero satélite, nossa brilhante esfera azul não é apenas um planeta, o ser humano não é apenas um animal, um animal não é apenas terra e a terra não é apenas lava!

Mesmo que não exista consenso na comunidade científica sobre o futuro do planeta, em um ponto todos concordam: a única esperança de sobrevivência para a humanidade é mudar radicalmente a sua relação com a Terra. A Mãe precisa de cuidados. Quando a mãe adoece, todos os seus filhos estão ameaçados. A ciência sozinha não é capaz de dar a Gaia o que ela precisa. O desenvolvimento sustentável não se realiza só com a vontade. O poder da vontade não transforma o ser humano. O poder do tempo não transforma o ser humano. O amor transforma. É preciso aprender a amar Gaia!

Um comentário:

Pétala disse...

"Não só é uma responsabilidade global
conservar os habitats deste planeta,
mas uma responsabilidade cósmica."

Quando a humanidade inteira perceber a importância de cuidar de nossa Mãe pode ser que seja tarde demais... Destruímos nossa casa, ferimos a Mãe. Devemos pagar por isso sim. Mas não perderei a fé no ser humano. Existem pessoas que fazem a diferença.